Header Ads

Forte comoção e homenagens marcam sepultamento de subtenente assassinada

Wagna foi assassinada na noite de sexta-feira (31) pelo namorado, após uma discussão.


Subtenente Wagna Soares é sepultada com honras militares em Feira de Santana
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

O corpo da subtenente Wagna Andrade Soares, 49 anos, foi sepultado na tarde deste sábado (1), no cemitério São Jorge, em Feira de Santana, com a presença de familiares e centenas de amigos, além de alunos do Colégio da Polícia Militar Diva Portela, onde trabalhava.
Ele confessou o crime e ao ser preso em flagrante informou que ocultou o corpo em um matagal na cidade de Conceição da Feira. A notícia chocou a comunidade feirense e todos que a conheciam ficaram muito abalados.

No sepultamento foram feitos vários discursos em sua homenagem e houve honras militares. No momento em que o corpo chegou ao cemitério, os estudantes do CPM estavam enfileirados em continência. Houve também louvores e aplausos.
O diretor do CPM, tenente-coronel Augusto Magnavita, disse que Wagna trabalhava há muito tempo no colégio e que era bastante querida por todos. Sempre solidária e prestativa ela estava sempre sorrindo e disposta a ajudar.

“Estamos consternados com este fato. Ninguém esperava por isso, e a comunidade feirense está abalada, dá para perceber até pela quantidade de pessoas que você viu aqui. Ela fazia um trabalho excelente com os alunos, até ajudava a consertar a farda que rasgava, um adereço. Era uma pessoa muito querida, muito solidária. Na quinta-feira passada ela estava na comemoração do aniversário do colégio, estava muito alegre, sorridente, prestativa. Estamos muito revoltados com o que acontece”, declarou o diretor do CPM.

A capitã PM Du Val, amiga de Wagna, destacou várias qualidades da subtenente e enfatizou que ela jamais será esquecida.

“Ela foi minha grande amiga desde o ano 2000 quando adentramos no curso de formação de sargentos, fizemos parte da mesma turma. Ela era um anjo, alguém que só desejava o bem a todos. Era uma relação de irmandade. Hoje perdemos não só uma profissional, mas uma amiga. Foi uma perda sem precedentes, a Polícia Militar tem orgulho de ter tido em sua corporação a subtenente Wagna, e tenho certeza que ela nunca será esquecida porque era uma policial militar de grande valor”, declarou.
Os estudantes do CPM ressaltaram a admiração que tinha pela policial e estavam bastante tristes.
“Ela era uma profissional sem igual, não tenho palavras. Não tínhamos o que falar dela, e não só a polícia como o CPM perdeu uma excelente militar. Ela era conselheira, companheira e muito amiga. Era como uma mãe. Quando a minha mãe morreu e eu retornei uma semana depois para a escola eu a encontrei de braços abertos para me acolher, sempre muito positiva. Hoje infelizmente é o dia em que nos despedimos dela, mas hoje também tem uma nova estrela brilhando no céu”, declarou o estudante do CPM Daniel Moreira, do 3º ano do ensino médio.
(Fotos: Ney Silva/Acorda Cidade)

O corpo foi velado no Centro de Velório Gilson Macedo, no bairro Kalilândia. O sábado letivo foi suspenso no Colégio da Polícia Militar.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.