Header Ads

"Se fosse eu, iria fazê-lo engolir o microfone" diz coronel sobre Igor Kannário

Coronel disse que Kannário merecia uma resposta ríspida
Ed Santos/Acorda Cidade
Após a confusão envolvendo o cantor Igor Kannário, no último domingo, 23, no Micareta de Feira de Santana, o coronel Adelmário Xavier, do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL), disse que, se fosse ele na situação, teria feito o artista e vereador por Salvador "engolir o microfone". Em entrevista ao site Acorda Cidade, o coronel também falou que faltou uma resposta mais rígida da Polícia Militar em relação a atitude do cantor.

“Infelizmente, quando isso chegou ao meu conhecimento, eu já tinha saído do circuito, porque, se eu chego perto dele, o procedimento normal era deixar terminar a apresentação e conduzi-lo à delegacia. Se eu chego no momento eu iria arrancá-lo do trio e, se caso fosse eu, iria fazê-lo engolir aquele microfone para ele aprender a respeitar as pessoas e a Polícia Militar da Bahia”, declarou o coronel.

A equipe de reportagem A TARDE tentou contato com o coronel, mas até apublicação desta matéria, ele não tinha sido localizado.

Entenda o caso

A confusão aconteceu durante o show de Kannário no último dia da micareta de Feira. Durante o desfile, ele acusou uma policial militar de agredir os foliões e exigiu respeito. "Ô Pfem. Você é só uma Pfem, eu sou mais autoridade do que você. Eu sou vereador. Me respeite e procure o seu lugar!

Em resposta à atitude do cantor, a Secretaria de Segurança Publica (SSP), na manhã desta terça-feira,23, informou que "levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento pública, não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo".

Na mesma nota, o órgão disse que "o caso está sendo avaliado e que, caso se configure desacato, a SSP tomará as providências judiciais cabíveis." (Correio)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.