Header Ads

SOS: Projeto de consórcio apresentado a câmara, poderá abrir porta para o EUCALIPTO, em Itamaraju

Os parlamentares do município de Itamaraju, novamente estiveram reunidos numa sessão ordinária durante a noite desta terça-feira (23), tendo como centro do debate um assunto preocupante, destinado a casa através de um projeto de lei do governo municipal. Além de aprovarem uma serie de indicações de melhorias.
Em pequeno expediente foi realizada a leitura e aprovação da ATA da sessão anterior, além de varias indicações e relatório do projeto que regulamenta o dia do GARI no calendário municipal.

Na sessão anterior ocorrida na terça-feira (16), foi apresentado à casa parlamentar um projeto de lei formulado pela equipe do prefeito [Marcelo Angênica]. Que visava integrar o município ao Consórcio Público Intermunicipal de Infraestrutura, que permitiriam num formato de concessão a gestão, avaliação, uso de recursos, através de uma empresa pública constituída pelo grupo consorciado, que atualmente é integrada por 11cidades (Itanhém, Ibirapuã, Vereda, Lajedão, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Alcobaça, Teixeira de Freitas, Jucuruçu, Guaratinga) faltando apenas à adesão de Itamaraju e Caravelas num processo de ratificação.
Abertas as discussões em grande expediente, também foi permite ao represente do consórcio explanar sobre a função, parceiros, projetos e objetivo de sua visita. Além de responder a uma serie de questionários.

Vários vereadores realizaram questões que direcionavam suas preocupações com o plantio do eucalipto no município, onde atualmente possui uma restrição da exploração da cultura em apenas 5%.

Todos agradeceram a presença do representante, mas parte dos edis intensificaram o discursos, demonstrando desconfiança no consórcio que aparentar ser uma porta aberta para a silvicultura do eucalipto, devido todos os municípios que estão consorciados tem maciça exploração da cultura.

Muitos dados estatísticos e um discurso amplamente técnico foram expostos, no entanto pouco convenceu aos parlamentares, que sabem da impopularidade voltada ao plantio de eucalipto na região. Trazer essa realidade para o município seria danoso, tanto politicamente como no âmbito econômico, pois concentraria as riquezas num pequeno grupo de latifundiários, deixando pequenos assentados e famílias oprimidos pelo plantio. Contradizendo também o discurso do gestor, que sempre pregou a democracia, geração de emprego e renda.
Agora o projeto é visto como uma “caixa de pandora”, se aberto poderá trazer riscos econômicos e sociais desconhecidos.

Os vereadores devem discutir sobre o projeto, no entanto vários parlamentares foram ouvidos e boa parte é contra a especulação do convênio deste consórcio. Nas ruas o assunto sempre foi muito polêmico.

Nas próximas semanas o projeto deverá ser votado, mas a aceitação também depende do posicionamento popular.

Ao final das discussões a pauta do dia foi colocada em votação com varias indicações. E nova sessão foi marcada para a próxima terça-feira (30). (Fonte Itamaraju Noticias)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.