Header Ads

Caminhada em Teixeira de Freitas reforça a importância da luta pelo fim da violência contra a mulher


Dezenas de pessoas participaram da Caminhada do Agosto Lilás organizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social, através do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), e pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher na manhã nesta sexta-feira, dia 24 de agosto, em Teixeira de Freitas.

O ato seguiu pelas ruas do Centro de município com o objetivo de marcar o Dia D da Campanha Agosto Lilás que faz uma reflexão sobre a luta pelo fim da violência contra a mulher. O Secretário da Assistência Social, Gilberto Souza, destacou a iniciativa. “As estatísticas mostram a gravidade do problema em nosso país, são dados alarmantes que mostram que violência contra mulher ainda é uma infeliz realidade e nosso objetivo de vir as ruas é chamar atenção para este grave problema”.

Agosto foi escolhido por ser o mês em que se comemora o aniversário da Lei Maria da Penha, lei que entrou em vigor em 2006 para coibir de forma mais eficiente a violência doméstica contra a mulher. O Agosto Lilás é o mês de combate a violência contra a mulher então resolvemos todos juntos realizarmos esta caminhada para levar a população Teixeira de Freitas a debater este tema”, ressaltou Ednamar Gomes, coordenadora do Cram.

A delegada responsável pela Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), Viviane Scorfield, reforçou a necessidade de toda sociedade se envolver nesta causa. “Quando nós vemos vários segmentos da sociedade reunidos em prol de uma causa tão importante é um sentimento gratificante pois queremos junto com toda a população diminuir estes índices e conscientizar a todos sobre este grave problema que vivemos que é a violência contra a mulher”.

De acordo com a advogada do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher (COMDDIM) Gine Kinjyo os números em Teixeira de Freitas ainda são grandes apesar dos diversos equipamentos de proteção a mulher serem atuantes. “Iniciamos esta reflexão no final do mês de julho e percebemos o quanto é importante realizar este tipo de evento para chamar a atenção da sociedade, pois nossos índices de violência ainda são grandes, em 2017 foram mais 490 procedimentos na DEAM”.

Entre as participantes da caminhada, estava Micaela Pereira de Sousa que atua no Cram e fez questão de falar sobre o sentimento. “Se formos avaliar os números é muito triste, são muitas mulheres sofrendo diversos tipos de violência física, sexual ou emocional, e esta caminhada é para abraçar verdadeiramente esta causa pois entendemos a importância de nos unirmos e sonharmos com um futuro melhor para os nossos filhos e filhas”.

A jovem aprendiz Pabline Santos Farias, de 17 anos, participou do ato. “Precisamos nos mobilizar com esta causa que ainda é uma realidade para as mulheres e eu achei que era muito importante participar desta caminhada.


Photo Jornalismo/ASCOM/PMTF

Mais Fotos:



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.