Header Ads

Escola Municipal Clélia das Graças Figueiredo promove reunião de pais e discute o tema da violência

Teixeira de Freitas: A reunião de pais e mestres aconteceu na tarde desta quinta-feira, 14 de Março, na Escola Municipal Clélia das Graças Figueiredo Pinto, situada na Rua Joana Angélica, no Bairro Santa Rita, em Teixeira de Freitas. Estiveram presentes, pais, alunos, professores, coordenadores, comunidade, e a ilustre presença do delegado da Polícia Civil Manoel Andreetta, além de outras entidades.

A vice-diretora da Escola Municipal Clélia das Graças Figueiredo Pinto, Sirlete dos Santos Ferreira disse que esse é um momento significativo para todos porque é a primeira reunião de pais e mestres do ano. "É um momento em que estamos discutindo com os pais, e toda comunidade escolar a importância da presença da família na escola. Temos como convidados, o delegado da Polícia Civil, Manoel Andreetta; representantes do Projeto “Pais nas Escolas”, e uma representante do Conselho Tutelar, que está abordando o tema acerca da Família na Escola".

"Então, esse momento para nós é um marco significativo. Estamos trabalhando muito para trazer a escola, juntamente com a família, fazendo um trabalho de qualidade, onde os pais, e a comunidade escolar sintam-se valorizados e agraciados. A presença do delegado Manoel Andreetta nessa reunião foi fundamental, pois ele sabe como tratar o assunto, sabe dos reais motivos, como a agressividade, a violência, e a falta de paz nas nossas escolas prejudicam o bom andamento da sociedade. Então, a presença dele tira muitas dúvidas e deixa muitos aconselhamentos para a Escola e para a Família", acrescentou Sirleth.

O delegado da Polícia Civil de Teixeira de Freitas, Manoel Andreetta, ministrou uma palestra aos pais, mestres, alunos e comunidade e disse que é de suma importância essa reunião. "Fui convidado pelo Secretário de Educação, Hermon Freitas, para compor esse quadro do projeto “Pais na Escola”, e de alguma forma a Polícia Civil quer contribuir sim, para trazer para esses jovens, uma nova ideia do trabalho integrado entre as instituições. A Polícia quer resgatar esses jovens que vêm perdendo suas vidas, seja para o crime, ou sendo mortos em decorrência do crime, explicou o delegado.

E acrescentou: No momento de uma tragédia como essa que aconteceu no cenário nacional, é de suma importância, de extrema necessidade, que a polícia saia do seu gabinete e venha somar com as demais instituições, para trazer a paz nas escolas e em nossa comunidade. Somos de um Núcleo de atuações, que o estado tem que ter para resgatar o indivíduo. Primeiro, nós trabalhamos encarcerando, prendendo, tirando os criminosos de circulação, mas, no segundo momento, estamos vindo aqui à escola colocar a cara pra bater, olhar nos olhos dos pais, professores, e com isso mostrar que a Polícia Civil não serve só como órgão repressor, mas, também como educador".

O delegado Andreetta disse ainda que esse trabalho de conscientização é uma forma de trazer outra análise, outro ponto de vista e, assim, poder resgatar esses kovens, antes que eles comentam um crime, antes que eles acabem presos ou mortos na comunidade. "Essas palestras irão continuar em outras escolas, faz parte do projeto: 'Pais na Escola'. Estaremos à disposição para atendermos ao chamado, porque o trabalho da Polícia tem que vir para a comunidade, se aproximar da comunidade, e a gente só serve para os interesses da comunidade, então, esse é o trabalho da Polícia Civil hoje. Costumo dizer que a melhor Polícia é o próprio pai e a mãe, é a comunidade, é o cidadão de bem", concluiu Andreetta.

Gilbert Pereira da Silva, morador da região central da cidade, disse que tem um filho de 16 anos, e essa palestra é muito importante. "Hoje em dia as coisas estão muito difíceis. Estamos vendo muitas coisas acontecendo nas escolas, que antigamente não víamos isso. A gente ia realmente para a escola para estudar, para aprender. Hoje em dia a criança vem pra escola mais para brincar, para se divertir, e deixa o estudo em segundo plano. Esse projeto é muito importante para o desenvolvimento da criança. Em casa converso muito com meu filho para ele respeitar os professores na sala de aula, e os profissionais que trabalham na escola, e também aos pais em casa", explicou.

Já a doméstica, Vanilsa Melo, disse que é preciso acompanhar bem o seu filho, pois isso é de grande importância para o seu crescimento. "Quando minha filha vem para a escola, vejo com quem ela está vindo, sempre estou atenta para o horário que ela retorna para casa. Moro há 10 minutos da escola, mas, estou sempre atenta, acho importante porque já tenho o controle em minha mente: saber com quem anda e saber para onde vai. Se a minha filha chegar em casa com qualquer objeto de natureza estranha, eu não aceito, procuro saber a procedência. O projeto é muito bom, tem a participação da família e da escola. E eu sempre tive como princípio que a primeira escola é em casa, em família", concluiu Vanilsa.

Photo Jornalismo/Por: Lenio Cidreira

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.