Header Ads

NHT da 8ª COORPIN conclui mais um caso de homicídio em Teixeira: Autores morreram e inocentes se feriram


Teixeira de Freitas: Os delegados do Núcleo de Homicídio e Tráfico da 8ª COORPIN, Manoel Andreetta e Bruno Ferrari, concluíram as investigações de mais um homicídio. Trata-se da vítima Leandro Poluceno Fernandes, o “Bagre” 24 anos de idade, crime ocorrido no dia 22 de junho de 2018, através de disparos de arma de fogo efetuados quando a vítima encontrava-se conduzindo sua motocicleta em via pública, na BR 101, na altura da Empresa Autoplan, no Bairro Castelinho, em Teixeira de Freitas/BA. Na ocasião do crime, o autor dos tiros chegou a ser perseguido pela PM, colidiu a moto em um carro, mas, conseguiu fugir pelo matagal.

Com o desenvolvimento das investigações realizadas pelos delegados do NHT e os investigadores Sérgio Adriano e Alexandre Augusto, o Núcleo descobriu que a vítima Leandro (O Bagre), estava envolvida com o tráfico de drogas nos Bairros Nova América e Caminho do Mar I e II, figurando como “Gerente de Bairro”, integrante do Grupo do Gueto, tendo como chefe imediato, Arlan Oliveira Silva, o “Boca Preta”. A equipe do NHT descobriu que o crime foi praticado por Felipe Cinza da Ressurreição, o “Dondoca”, 21 anos, por vingança ou “revide” pelo fato do Leandro ter mandado matar o Felipe dias antes, tendo como motivação uma desavença pessoal advinda do tráfico de drogas.


Na tentativa contra o Felipe, os executores (não identificados) acabaram ferindo a tiros, o enteado do Felipe, uma criança de 08 anos, alvejada de raspão na perna, no dia 03 de junho de 2018, em frente à residência do Felipe, no Bairro Nova América. Após saber que o Leandro “Bagre” havia sido o mandante do crime, o Felipe resolveu se “vingar” ou efetuar o “revide”, tentando matar Leandro durante esta ação criminosa, no dia 22 de junho de 2018, cujas lesões sofridas pela vítima (Leandro), o deixou paralítico e acabou por lhe causar a morte meses depois, no dia 28 de setembro de 2018, por conta de complicações advindas das várias cirurgias a que foi submetido junto ao HMTF.

Segundo as investigações, logo depois do atentado contra o Leandro (o “Bagre”), o Felipe (o “Dondoca”), fugiu de Teixeira, se escondendo em Pinheiros/ES, local onde ele foi localizado pelos comparsas de Leandro, os integrantes do Grupo do Gueto, e o Felipe acabou sendo morto, atingido por mais de 15 tiros, a maioria na cabeça, fato ocorrido no dia 26 de junho de 2018, em um matagal, no Bairro Galileia, em Pinheiros. No momento do crime, Felipe estava com seu sobrinho Rhuan Pablo Ressureição, 19 anos, que também foi atingido por mais de 05 tiros, no tórax, braços e pernas. O Rhuan foi socorrido e levado para o Hospital de São Mateus/ES, onde acabou se recuperando das lesões sofridas.

Segundo o delegado Manoel Andreeta, este é mais um “exemplo” da “guerra urbana” travada pelos integrantes dos vários grupos de traficantes atuantes nos Bairros de Teixeira de Freitas e das consequências “nefastas” que esse tipo de crime vem causando através dos anos em nossa Comunidade, sendo a razão da prática de uma série de “ATAQUES” e “REVIDES”, que se transformam em crimes de homicídios, tentados e consumados, ensejando um verdadeiro “ciclo vicioso macabro”, que causaram, causam e continuam causando a morte prematura de inúmeros jovens e adolescentes neste município, razão da incidência de prejuízos irreparáveis (patrimonial, financeiro e psicológico).

“Em decorrência da morte do autor do crime Felipe, o “Dondoca”, ocorrida no município de Pinheiros/ES, a Equipe do NHT pleiteou perante à Justiça pelo Arquivamento do Inquérito Policial, devido a incidência da Extinção da Punibilidade pela Morte do Agente, prevista no Art. 107 I do CP c/c Art. 62 do CPP. O procedimento foi devidamente finalizado, saneado e relatado no NHT”, explicou o delegado Manoel Andreetta.

Photo Jornalismo/Por: Edvaldo Alves

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.