Header Ads

Crime Passional: Acusado de matar pedreiro no Duque de Caxias se apresenta e NHT conclui inquérito


Teixeira de Freitas: A Polícia Civil (NHT da 8ª COORPIN), sob o comando dos delegados Manoel Andreetta e Bruno Ferrari, concluíram as investigações do homicídio consumado do pedreiro Natalino Pereira dos Santos, 49 anos. A vítima foi assassinada em via pública, no Distrito de Duque de Caxias, fato ocorrido no último dia 11 de junho de 2019, por volta das 21h00. O acusado, José Pereira dos Santos, o “Zé Doido”, 45 anos, se apresentou espontaneamente, na presença de seu advogado, na tarde desta segunda-feira, 17 de junho, por volta das 17h00, perante os delegados responsáveis pelo NHT.

José Pereira confessou o homicídio, praticado em desfavor da vítima e apresentou a arma usada no crime. Segundo o delegado Andreetta, “Zé Doido” afirmou que o problema entre ele e o Natalino ocorreu quando o autor soube da traição promovida com a vítima, que manteve relações sexuais com sua companheira de 23 anos de convivência, fato ocorrido no ano de 2004, quando então o “Zé Doido” atentou contra a vida da vítima, desferindo contra o mesmo dois disparos de arma de fogo, que atingiram a vítima na região glútea, sendo certo que a vítima conseguiu fugir, sendo socorrida junto ao HMTF, escapando por pouco da ação criminosa.

“Nesse meio tempo, autor e vítima conviveram sem qualquer outro problema no Distrito de Duque de Caxias, contudo, de dois anos para cá, o “Zé Doido” cismou que o Natalino queria se vingar dele, havendo informações de que a vítima continuou se envolvendo com a companheira do “Zé Doido”. Sendo assim, o autor acabou matando a vítima, no momento em que o Natalino andava em via pública, atingindo-o com cerca de quatro disparos de arma de fogo, sendo um na região glútea, dois nas costas e um na cabeça, provocando-lhe a morte ainda no local. O autor do crime acabou fugindo do local tomando rumo ignorado até a presente data”, explicou.

Ainda segundo Andreetta, a apresentação do autor possibilitou concluir os dois procedimentos, a tentativa de homicídio de 2004 e o homicídio consumado contra a vítima, ocorrido na presente data. “O caso foi passado ao NHT, que providenciou a oitiva das testemunhas envolvidas e a identificação do autor do crime, que acabou se apresentando espontaneamente com seu advogado na presente data, sendo o mesmo devidamente interrogado, quando então confessou a prática do crime alegando legítima defesa”, finalizou o delegado Manoel Andreetta. Diante da apresentação espontânea, o "Zé Doido" foi ouvido e liberado, devendo responder em liberdade pelo crime, até julgamento pelo Tribunal do Juri.

PHOTO JORNALISMO / Com informações de Edvaldo Alves

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.