Header Ads

Comerciante morre com pedaço de osso na garganta: Familiares denunciam Hospital de Itamaraju por descaso


Itamaraju: A equipe do Liberdade News recebeu nesta tarde de quinta-feira, 29 de agosto, uma denúncia grave de familiares do senhor Flávio Cardoso da Silva, 62 anos de idade. Familiares denunciam o descaso, os maus tratos e a negligência com a vida de um ser humano. A esposa do senhor Flávio gravou um vídeo e enviou para nossa equipe de reportagem falando sobre o ocorrido. Segundo a senhora Rita de Cássia, o seu esposo engasgou com uma fragmento de osso bovino, na última quinta-feira, 22 de agosto, e foi levado, sentindo dores, para o Hospital Municipal de Itamaraju.

Ainda segundo a esposa, a médica que o atendeu disse que ele estava sentindo dor porque o osso teria ferido a garganta dele. Porém, ela não fez nenhum Raio-X. “Meu esposo continuou sentindo dor, na sexta e no sábado, estava saindo coisas da garganta dele, e ele não estava mais suportando. Ele ficou internado no hospital, e não fizeram nada. Somente às 03h00 da manhã que foi aplicado uma dipirona e fizeram uma nebulização. O médico disse que o que ele podia fazer, ele tinha feito. Parece que estavam esperando para transferi-lo para outro hospital”, falou a senhora Rita de Cássia.

A esposa do senhor Flávio disse que umas 03h30 da manhã, ele teve uma parada cardíaca e todo mundo dormindo no hospital. “Um paciente saiu gritando com o soro no braço e uns enfermeiros foram socorrer meu marido. Massagearam o coração dele, tentou reanima-lo, mas, o médico do plantão nem apareceu. Só foi aparecer uns 25 minutos depois. Nem um desfibrilador usaram. Meu marido morreu à mingua, só não morreu sozinho porque eu estava lá. É um absurdo isso. Uma pessoa saudável, nem remédio de pressão ele tomava, e morrer assim dessa forma”, desabafou a esposa.

Segundo informações, somente quando ele retornou ao Hospital, com muita insistência, foi que fizeram um Raio-X e constataram que osso ainda estava na garganta. Pacientes denunciaram que todos estavam dormindo, e que não houve nenhuma assistência médica no momento em que o senhor Flávio estava tendo a parada cardíaca. O corpo da vítima foi encaminhado ao IML, onde passou por necropsia. A esposa denuncia o descaso, e pede que providências sejam tomadas para que outras pessoas não passe por isso. “É lamentável uma situação dessa, Inaceitável. Um problema que poderia ser resolvido com um pouco de profissionalismo, boa vontade e humanidade”, disse outro familiar.

Nossa equipe de reportagem tentou contato com o Hospital de Itamaraju e com a Secretaria de Saúde do município, mas, não conseguiu retorno.

PHOTO JORNALISMO / Por: Edvaldo Alves/Liberdadenews

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.