Header Ads

NHT conclui inquérito policial sobre homicídio no Bairro Teixeirinha e pede prisão de acusados

Teixeira de Freitas: O Núcleo de Homicídios e Tráfico da 8ª COORPIN, liderado pelos delegados Manoel Andreetta e Bruno Ferrari, concluíram as investigações sobre o homicídio consumado de Evandro Fonseca da Silva, o “Tunega”, 19 anos de idade, crime ocorrido na tarde do dia 20 de junho deste ano, no Bairro Teixerinha. Na ocasião do crime, dois indivíduos utilizando uma motocicleta não identificada, se aproximaram da vítima, que saia de uma mercearia, na baixada do Bairro Teixeirinha, e atiraram, quando então, com a vítima já caída ao chão, o executor recarregou sua arma de fogo e continuou atirando contra a vítima, terminando o seu “serviço” macabro, sem lhe dar qualquer chance de defesa.

O caso foi para a Equipe do NHT, onde com o desenvolvimento das investigações, imprimidas em conjunto com os investigadores Alexandre Augusto, Sérgio Adriano, Alex Honorato e Marcos Gomes, foi apurado que a vítima era cunhado do traficante conhecido como João Vitor dos Anjos, que juntamente com seu irmão Everson de Jesus dos Anjos, o “Negão de Zena”, 21 anos, figuram como gerente de bairro do grupo de traficantes denominado Grupo do Gueto, atuantes nos bairros Teixerinha, Bom Jesus e Colina Verde. A polícia descobriu que houve uma briga, ou seja, um “racha” entre os gerentes do Grupo do Gueto (os irmãos Everton e João Vitor) contra os também irmãos Jefes Almeida Batista, o “Jefinho” e Emerson Almeida Batista, o “Biel”.

“O racha se deu devido à disputa pelos pontos de venda e distribuição de drogas na região conhecida como “Biquinha”, na baixada entre os Bairros Teixeirinha e Colina Verde, havendo informações de que Jefes e Biel estavam à procura de João Vitor para matar e que, inclusive, Biel e João Vitor chegaram a trocar tiros em uma das ruas do bairro, oportunidade em que ambos saíram ilesos da ação criminosa. Na semana anterior à prática do crime, após receberem informações de que João Vitor estava na casa de sua companheira, irmã da vítima Evandro, os executores Jefes e Biel invadiram a casa armados, ameaçando todos que ali se encontravam e após vasculharem todos os cômodos da casa sem encontrar João Vitor, acabaram deixando o local”, explicou o delegado Andreetta.

Segundo Andreetta, na semana seguinte, Jefes e Biel terminaram por matar a vítima por acreditar que a mesma havia passado e estava passando informações via telefone celular, que permitiram a fuga de João Vitor das diversas emboscadas preparadas para ele, pelos irmãos executores. “Essa ação representou a sequência de ataques e revides entre os contendores, uma verdadeira guerra urbana travada pelos protagonistas que se propagou por semanas dentro dos bairros daquela localidade, causando, inclusive a morte do jovem Felipe Santos Nascimento, de 18 anos, morto de forma brutal nas mesmas circunstâncias pelos irmãos executores, enquanto enchia garrafões de água na “Biquinha”, sem qualquer chance de defesa, caso já elucidado pelo NHT”, explicou.

O Delegado finalizou dizendo que “a polícia tomará todas as medidas necessárias para manter o controle da Cidade, e não medirá esforços para restabelecer a ordem e abaixar ainda mais os índices de homicídios em nosso Município”. Diante da gravidade da situação, foi pleiteada a concessão da prisão preventiva dos envolvidos no crime, visando garantir a garantia da ordem pública e a aplicação da Lei Penal. O procedimento foi devidamente finalizado, saneado e relatado no NHT.

PHOTO JORNALISMO / Por: Edvaldo Alves/Liberdadenews

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.