Header Ads

Duplo homicídio ocorrido no Tancredo Neves é elucidado pela Polícia Civil de Teixeira


Teixeira de Freitas:
A Polícia Civil de Teixeira, através do delegado Manoel Andreetta, responsável pela pasta de homicídio, concluiu mais um inquérito policial sobre um duplo homicídio consumado, ocorrido em 16 de dezembro de 2017. As vítimas foram o deficiente físico e cadeirante Erasmo Peixoto Portela, 21 anos, e seu sobrinho adolescente, de 15 anos de idade. As vítimas foram encontradas caídas ao chão, o cadeirante por cima de sua cadeira de rodas em decúbito lateral, com parte da cabeça dilacerada com exposição de massa cefálica e o adolescente em decúbito dorsal, próximo ao cadeirante, com um disparo nas costas, na altura do ombro esquerdo e outro no abdômen do lado direito.

As vítimas apresentavam ainda, enormes lesões provocadas por disparos de arma de fogo, à queima roupa, através de uma espingarda calibre 12, conforme ficou constatado através dos três cartuchos do mesmo calibre, deflagrados, encontrados no local do crime, próximos às vítimas. O fato ocorreu em via pública, na Rua Macaúbas, no Bairro Tancredo Neves. O caso foi encaminhado para o SI – Serviço de Inteligência da Delegacia Territorial, sob a supervisão do delegado Manoel Andreetta, o qual, com o desenvolvimento das investigações, imprimidas em conjunto com os investigadores Sérgio Adriano; Alexandre Augusto; Alex Honorato e Marcos Gomes, apuraram que as vítimas estavam envolvidas com o tráfico de drogas.

“As vítima estavam envolvidas com o tráfico de drogas nos Bairros Tancredo Neves e Cidade de Deus, e figuravam como integrantes do grupo de traficantes denominado Grupo de Beto Carroceiro, que estava em guerra contra os integrantes do grupo rival, denominado Grupo de Flavão. Naquela oportunidade, os grupos estavam disputando os pontos de vendas e distribuição de drogas no Bairro São Lourenço, cuja guerra urbana deflagrada foi responsável por uma série de “ataques” e “revides”, representados por crimes de homicídio consumados e tentados, que vitimou vários jovens, entre adolescentes e adultos, não só entre os comparsas e rivais envolvidos no mundo do crime, mas também entre terceiras pessoas inocentes”, explicou o delegado.

“O duplo homicídio teve como executores direto as pessoas identificadas por Alessandro Santos Aragão, o “Leleu” (20 anos) e João Carlos dos Santos Marinho, o "João Pela” (21 anos), integrantes do Grupo de Flavão, que na época contaram com o apoio dos integrantes do grupo de traficantes, denominados Grupo de Uilian, através das pessoas de Uilian Santos de Jesus, o “Chapado” (30 anos) e dos falecidos Elizeu Almeida Marinho, o “Manso” ou “Terror” (24 anos), morto em confronto com a PM em 20/01/2018) e Gilberto Melquiades Nascimento, o “Gil Aragaço” (26 anos), morto em confronto com a PM em 09/03/2018), figurando os mesmos como participantes direto do crime, no momento em que “escoltaram” as vitimas em veículo próprio e forneceram a arma de fogo utilizada para praticar o crime”.

Ainda segundo o delegado Andreetta, a arma calibre 12 foi a mesma que, posteriormente, seria utilizada pelos integrantes do Grupo de Uilian para matar uma série de pessoas nos Bairros Castelinho e Jerusalém, evento tido como “Os crimes do Maníaco da 12”, objeto da operação “Alma Lisa”, desencadeada pelo Serviço de Inteligência da Polícia Civil, com o objetivo de investigar os referidos casos. “No dia do crime, as vítimas se encontravam em via pública, na Rua Macaúbas, no Bairro Tancredo Neves, quando então os executores se aproximaram com dois veículos não identificados, e efetuaram vários disparos de arma de fogo contra as vítimas, utilizando a espingarda calibre 12 para dar o “confere”, ou seja, o famoso “tiro de misericórdia” selando a morte das vítimas”, explicou o delegado.

“Em decorrência desse crime, os integrantes do Grupo de Beto Carroceiro promoveram o “revide” matando o integrante do grupo rival, ou seja, do Grupo de Flavão, a vítima também cadeirante, identificada por Marcos Clemente Conceição, o Careca, através de disparos de arma de fogo, fato ocorrido no dia 09/03/2018, em via pública, na Rua Equador, no Bairro Liberdade I, neste município, ainda em trâmite nesta Delegacia. O Inquérito Policial foi devidamente saneado, relatado e encaminhado à Justiça”, finalizou o delegado Andreetta.


PHOTO JORNALISMO / Por: Edvaldo Alves/Liberdadenews

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.