Header Ads

Índio é preso em Teixeira acusado de matar e ocultar o cadáver da companheira em Porto Seguro


Teixeira de Freitas: Policiais do PETO de Teixeira de Freitas, juntamente com a guarnição do Coordenador de Área, prenderam por força de mandado de prisão, um índio acusado de ter matado a própria companheira no município de Porto Seguro. A prisão aconteceu no início da tarde desta sexta-feira, 20 de março, no Conjunto Habitacional Castelinho l, na Avenida B, no Bairro Castelinho, após receberem denúncia de que o acusado, que seria membro da "Tribo Pataxó", aldeia que fica próximo ao distrito de Itaporanga, município de Porto Seguro, estaria residindo naquele Conjunto Habitacional.

Segundo informações, os PMs foram averiguar o suspeito, e encontraram um mandado de prisão preventivo em aberto, desde a data do dia 11 de março de 2016, quando foi expedido pelo Juiz de Direito, MM. André Marcelo Strogenski, que acatou o pedido feito pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher - DEAM/Porto Seguro. Onde o mesmo responde pelo crime de homicídio e ocultação de cadáver, de sua própria companheira, Nara Simone da Rosa, na época tinha 51 anos. O acusado foi identificado como Moisés Ferreira dos Santos, de 40 anos.

Após ter matado a sua companheira, ele teria enterrado o seu corpo no quintal da casa onde eles moravam, em uma aldeia indígena. Os militares, após darem voz de prisão ao foragido Moisés, o conduziu para a Delegacia Territorial, e o apresentou para a delegada de plantão, Andressa Carvalho, que diante do mandado judicial, ela deu cumprimento, determinando o recolhimento do mesmo para carceragem da 8ª COORPIN, onde ele deverá ficar até a próxima semana, sendo encaminhado para o Conjunto Penal - CPTF, onde ficará à disposição da Justiça.

A nossa equipe de reportagem conversou com o acusado (Índio Moisés), que assumiu ter cometido os referidos crimes, e que teria matado a sua ex-companheira porque ela queria tomar o lugar dele de Cacique, e que teria jurado ele de morte, e que ela dizia ser índia legítima, mas não era.

PHOTO JORNALISMO / Por: Cloves Neto/Liberdadenews

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.