Header Ads

Polícia Civil conclui inquérito policial sobre homicídio tentado no Bairro Rosa Luxemburgo em Teixeira

Teixeira de Freitas: A Polícia Civil, sob o comando do delegado da Pasta de Homicídios, Manoel Andreetta, concluiu mais um inquérito policial sobre a ocorrência de um homicídio tentado, praticado contra um homem de 26 anos de idade, fato praticado por pessoa até então não identificada, na noite do dia 08/03/2020, por volta das 20h30, sendo a vítima socorrida junto ao HMTF pela ambulância do SAMU, após ser atingido pelo agressor com uma facada nas costas, que o atingiu próximo à coluna cervical, como consequência de uma discussão travada entre os envolvidos, no interior da residência da vítima, na casa localizada na Quadra 33, do Bairro Rosa Luxemburgo, neste município de Teixeira de Freitas.

Com o desenvolvimento das investigações realizadas pela pasta de homicídios em conjunto com o Serviço de Inteligência da Delegacia Territorial, através dos investigadores Sérgio Adriano, Alexandre Augusto e Alex Honorato, foi apurado que o crime ocorreu por conta de um desentendimento da vítima com a pessoa de Jorge Wallace Pereira de Barros, 31 anos, morador próximo à sua residência, sendo certo que ambos possuíam um bom relacionamento de amizade e de trabalho, havendo informações de que a vítima prestava serviços na construção civil, na qualidade ajudante de gesseiro para o autor do crime (Jorge) e que, os envolvidos tinham uma boa convivência social, frequentavam a casa um do outro e já foram vistos juntos bebendo juntos nas ruas e pelos bares situados naquela localidade.

Segundo as investigações, o problema entre os protagonistas começou três semanas antes do crime, quando a vítima abandonou o serviço pelo qual foi contratado no município de Nova Viçosa, sendo certo que, naquela oportunidade devido a uma discordância a respeito do pagamento de sua diária de trabalho, a vítima acabou deixando Jorge sozinho na obra, causando-lhe enormes prejuízos, voltando de viagem para o município de Teixeira de Freitas sem terminar o serviço ou sem cumprir sua parte no trato, fato que gerou uma discussão verbal entre os mesmos, inclusive com a troca de ameaças mútuas de morte.

A situação piorou quando Jorge perdeu seu aparelho celular que julgava estar no interior da casa da vítima, após supostamente ter deixado o objeto “carregando” na tomada da casa, logo depois do autor ter comemorado a festa de seu aniversário, que, por concordância da vítima, foi realizado naquele local. Na verdade, a vítima possui um histórico com envolvimento no consumo de drogas e Jorge o acusava de ter lhe furtado o seu aparelho telefônico para trocar nas “bocas de fumo” por substâncias entorpecentes. De fato, Jorge se sentiu extremamente ofendido, tomando a afronta como pessoal, quando notou, ao chegar em sua casa, que seu aparelho celular havia desaparecido: seja pelo vínculo de amizade e de consideração que tinha com a vítima; seja pelo fato do sumiço do telefone ter ocorrido justamente no interior da residência da mesma, durante a comemoração do seu aniversário.

Na noite do crime, já premeditando matar a vítima caso a mesma não lhe devolvesse o seu aparelho telefônico, o Jorge pegou uma faca de açougueiro na sua casa escondendo-a na cintura, quando então se dirigiu à residência da vítima para tirar satisfação acerca do ocorrido. Ante a negativa da vítima, que insistia não ter subtraído o objeto, iniciou-se uma discussão entre ambos que evoluiu para as vias de fato, passando pelas agressões físicas mútuas e ameaças recíprocas de morte, oportunidade em que Jorge, levado pela ira do momento, puxou a faca da cintura e golpeou Magno nas costas, pegando-o de surpresa, em uma atitude covarde e vil, no momento em que a vítima entrava em sua residência, por julgar que a confusão entre ambos já havia terminado.

Ferido gravemente nas costas, a vítima só não foi morto por circunstâncias alheias à vontade do autor, que não chegou a concretizar o seu plano ardiloso devido à interferência de terceiras pessoas e curiosos que estavam próximos ao local, os quais ajudaram a vítima a se desvencilhar de Jorge, impedindo que o mesmo desse continuidade a ação criminosa e desferisse novos golpes contra ela, obrigando-o a fugir do local devido a superioridade numérica que já se instalava, oportunidade em que o Jorge tomou rumo ignorado.

Os trabalhos investigatórios de polícia judiciária prosseguiram dentro da Pasta de Homicídios, com localização e a oitiva da vítima e das testemunhas envolvidas no caso, quando então, já no dia 19/03/2020, por volta das 15h00, o autor do crime Jorge se apresentou na delegacia, com seu advogado, trazendo consigo a faca utilizada para golpear a vítima, confessando espontaneamente e sem qualquer tipo de constrangimento a prática do delito, contando detalhes da ação criminosa que o levou a atentar contra a vida da vítima, quando então, após a tomada do seu interrogatório na presença do delegado Manoel Andreetta, a com a apreensão do instrumento utilizado para praticar o crime, lhe foi permitido responder ao procedimento em liberdade, atendendo-se as prerrogativas da legislação penal brasileira.

Segundo o delegado Manoel Andreetta “mais uma investigação concluída e mais outra resposta dada à nossa amada comunidade Teixeirense, esta que merece toda atenção dos servidores públicos responsáveis pela segurança da nossa cidade”. De fato, afirmou o delegado que “a elucidação dos crimes promovidos pelos agentes da Polícia Judiciária, permite uma maior sensação de justiça entre os envolvidos e suas famílias, assim como aos demais membros da comunidade em geral, estabelecendo vínculos de informação e confiança, desmotivando, por parte dos contraventores, a prática de novas infrações penais, fator essencial para baixar os índices de criminalidade e manter o controle da segurança pública, além de fomentar à manutenção da ordem institucional”.

O delegado termina “conclamando a toda comunidade para que continue adotando as medidas necessárias de higiene e saúde para evitar a disseminação desse vírus assassino, pedindo para que os moradores não saiam de suas casas até segunda ordem e evitem aglomerações desnecessárias, afirmando que, com a benção de Deus e a contribuição de todos este mal logo passará”. O Inquérito Policial foi devidamente concluído, relatado e encaminhado à Justiça.

PHOTO JORNALISMO / Por: Edvaldo Alves/Liberdadenews

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.