Header Ads

Itamaraju confirma seis novos casos de COVID-19 em um só dia


Para o município que rejeitou a instalação de 20 leitos de UTI para tratamento de pacientes infectados pela COVID-19, o novo coronavírus, os últimos dias têm sido marcados pela testagem de novos casos positivos da doença no município. As justificativas da administração municipal para não aceitar a unidade de referência foi a necessidade de fechamento do Hospital Municipal, o que já foi desmentido pelo governador Rui Costa (PT), que queria transferir os pacientes do HMI para outro local e distanciá-los dos demais acometidos pelo novo vírus.

Outros integrantes da administração diziam que a instalação dos 20 leitos de tratamento intensivo traria à cidade a infestação de coronavírus, sem preocuparem no entanto, com aqueles que podem enfrentar o quadro mais grave da doença. Até os técnicos da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), que deixaram a capital em pleno feriado de Sexta-Feira da Paixão, foram recebidos com protesto em frente ao Hospital Municipal de Itamaraju (HMI), supostamente por simpatizantes do prefeito Marcelo Angênica (PSDB).

O maior problema é que tanto o governo municipal, quanto os manifestantes, esqueceram-se que diante de uma pandemia que atinge o mundo inteiro, é quase impossível manter uma cidade com mais de 60 mil habitantes, completamente livre do vírus e com o agravante de manter estabelecimentos comerciais abertos e sem qualquer fiscalização para evitar aglomerações.

Os novos casos começaram após a contaminação de uma jovem, que mesmo tendo fornecido material para realização de exames no Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (LACEN), supostamente ter participado de eventos festivos e reunido amigos em sua residência na cidade.

De apenas um caso inicial testado positivo com o paciente totalmente recuperado, a cidade de Itamaraju subiu para cinco em poucos dias e somente nesta segunda-feira (11), após realização de novos exames no LACEN, mais seis pacientes foram confirmados como positivos para COVID-19. Ainda existem seis pacientes aguardando os resultados dos exames e 55 em monitoramento.

O reflexo do afrouxamento às medidas recomendadas pela Organização da Saúde (OMS), deve ser o novo fechamento do comércio de Itamaraju e esperar que nenhum paciente apresente o estado grave, pois nesse caso o socorro terá que ser solicitado para Teixeira de Freitas, que com ajuda do Governo do Estado e o Grupo Suzano, está montando uma unidade de referência (hospital de campanha) com os 20 leitos de UTI, unidades que deveriam ser instalados em solo itamarajuense. 

PHOTO JORNALISMO / Por Ronildo Brito

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.