Header Ads

Vídeo: Familia denuncia que após 42 dias de uma gestação saudável, bebê morre após erro médico na UMMI

O Jornalismo do Liberdade News foi solicitado, na tarde desta terça-feira, 23 de Junho, para acompanhar de perto o drama que sofreu a Jovem, Raquel Costa de Oliveira, 20 anos, que perdeu sua filha às 12h00, na Unidade Municipal Materno Infantil (UMMI) de Teixeira de Freitas.

Segundo seu esposo, Erick da Rocha, 23 anos, profissão, Borracheiro, desde o início da gravidez vinha acompanhando, todos os processos de exames, ultrassom, pré-natal, e a criança estava em perfeito estado na barriga da mãe.

“Quando eu trouxe ela para UMMI, com 36 semanas, eles mandaram a Raquel pra casa, por não tinha nenhuma dilatação, e que era pra ficar duas semanas em casa, voltamos ao completar 40 semanas. Com todos os prontuários certos, mandaram a Raquel de volta para casa, e ao completar 42 semanas, ao chegarmos aqui na UMMI, internaram ela. Na última sexta-feira, 19 de Junho, ela não tinha nenhuma condição de ter a criança normal, e eles aplicaram uma medicação nela, para o parto ser normal”. Explicou.
“Levaram ela para o Centro Cirúrgico, fizeram a cesariana na Raquel, e constataram que a criança, tinha nascido com problema respiratório, e o bebê inalou as própria fezes.

Chegaram pra mim e disseram: - Pai o caso de sua fila é grave. Perguntei, porque grave, se ela estava em perfeito estado na barriga da mãe. Por que aconteceu isso agora? Ela não passa bem? Não está no oxigênio para respirar? Estou muito angustiado. A Drª Jamile, ela que estava tomando conta, ela é a responsável, vou procurar a justiça. Era nossa primeira filha, cheguei a registar pelo nome “Isabella”, e com muita tristeza, sepultamos nossa filha no Cemitério Jardim da Saudade em Teixeira de Freitas”. Desabafou o pai.

Quem falou também a nossa reportagem foi o avô, o senhor Ozemar Oliveira, muito conhecido por “Zé do óculos”, indignando ele disse: a minha filha veio aqui pra UMMI pra ganhar nenê, na sexta-feira, e ai, após a cirurgia cesariana a bebe acabou inalando o cocô. Passou por uma situação difícil, precisando incubadora, e acabou vindo a óbito. Vou buscar a justiça. A UMMI tem que ter mais responsabilidade, se a gente não fizer isso agora, vão fazer com muito mais pessoas. Tenho certeza que foi uma negligência medica.

A tia da criança, Iara, relatou que a criança morreu ao meio dia desta terça-feira (22), e eles não tiveram coragem de preparar a mãe primeiro, foi dando logo a pancada de vez. Dizem que a criança teria que ficar no hospital, e ela ia pra casa. “Não preparou a Raquel para receber a notícia da morte de sua filha, nem se quer um remédio deu para acalmar a mãe cheia de sofrimentos. Isso não pode ficar impune não. Essa medica é muito irresponsável, ela tem que ter mais responsabilidade no que está fazendo. Não é fácil gerar uma criança nove (09) meses na barriga, pra depois perder a criança. Queremos justiça.

Nossa equipe procurou a direção da UMMI, para falar sobre o caso, e recebemos uma nota na direção da unidade. Segue a nota.

“A direção da Unidade Municipal Materno Infantil (UMMI) afirma que irá investigar o ocorrido de forma criteriosa e tomará todas as decisões cabíveis diante daquilo que for apurado e comprovado. A direção da UMMI reitera seu compromisso em bem servir mães e crianças de Teixeira de Freitas e região”. 


PHOTO JORNALISMO / Por: Lenio Cidreira

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.